Auto News Troféu Mini: Rui Costa e Francisco Pinto mais fortes em Braga

O Circuito Vasco Sameiro recebeu a segunda ronda do Troféu Mini e foi palco de duas corridas espectaculares com novos protagonistas em relação à jornada inaugural da competição. Desta vez, os nomes que mais se destacaram foram Rui Costa e Francisco Pinto. Os dois foram os mais rápidos logo nas duas sessões de qualificação.

Os andamentos muito próximos indiciavam dois duros embates, com vários candidatos aos lugares do pódio. Rui Costa e Francisco Pinto queriam contrariar Francisco Formosinho Sanchez e conseguiram. Na primeira corrida do dia, os dois revelaram-se mais fortes e tiveram um despique épico. Em 12 voltas, ultrapassaram-se por oito ocasiões, num confronto que levou a questão da vitória até aos derradeiros metros com vantagem para Rui Costa. Formosinho Sanchez assistiu a este embate de “poltrona” para acabar em terceiro.

Também na discussão pelo quarto posto houve emoção a rodos. Paulo Sousa e Manuel Matos andaram sempre colados. Os dois pilotos trocaram de lugar por diversas vezes e durante toda a corrida era difícil perceber quem ganharia. Mas Paulo Sousa arriscou e tirou frutos. Quase no fim, o piloto fez uma ultrapassagem arrojada e destacou-se neste confronto. Luís Filipe Oliveira ainda se imiscuiu nesta batalha, mas perdeu andamento e ficou de fora.

Na segunda corrida, Rui Costa e Francisco Pinto voltaram a discutir o primeiro lugar. Mas como os Mini do troféu competem com os concorrentes do CSS Group 1b, o Mini de José Mota Freitas e o Datsun de Pedro Mouta imiscuíram-se na contenda e Pinto aproveitou o momento para se destacar na liderança. Sem se chegar ao líder, Costa manteve-se em segundo, mas viu Francisco Formosinho Sanchez aproximar-se. Motivado, este chegou à traseira do Mini do adversário e na última volta relegou-o para o último lugar do pódio.

“As corridas do Troféu Mini são tão interessantes como os pequenos automóveis que o formam. No Estoril tivemos um denominador comum, as vitórias do Francisco Formosinho Sanchez. Mas em Braga foi tudo diferente. Tivemos mais pilotos a vencer, tivemos ainda mais discussões em pista, sempre com imenso desportivismo. À medida que o número de concorrentes cresce, o troféu fica mais animado. Destaco, mais uma vez, a elevada competitividade dos Mini que assim garantem grandes experiências para quem tanto gosta de competir. É difícil ganhar. Mas se não fosse, não tinha piada”, afirmou Diogo Ferrão, da organização.