Auto News SEAT aponta para uma redução em 50% da sua pegada ecológica até 2025

A melhoria destes indicadores enquadra-se no Plano ECOMOTIVE FACTORY, a estratégia ambiental da SEAT no âmbito da produção de veículos. O Plano prevê uma série de medidas e de projetos para maximizar os recursos e diminuir as emissões em todos os processos produtivos da empresa.

Graças à implantação do Plano, que arrancou em 2011, a SEAT conseguiu diminuir as emissões de CO2 em 66,2%, adotando medidas como a recuperação de calor durante os processos, a eficiência no controlo de climatização e o isolamento térmico, utilização de calor externo com origem na biomassa ou a compra de energia verde, entre outros.

Além de tudo isto, a empresa produziu menos resíduos e compostos orgânicos voláteis, em concreto com uma redução de 41,4% e 16,2%, respetivamente, graças à separação seletiva de embalagens e à substituição de determinados solventes e ceras utilizados nos processos de produção. O consumo de energia foi reduzido em 21,7%, e o da água em 22,5%, através de medidas como a da redução de temperatura em alguns processos de fabrico, ou a instalação de um novo filtro nos testes de chuva que comprovam a estanquicidade dos veículos.

O Vice-presidente de Produção SEAT, Dr. Andreas Tostmann, destacou a aposta da empresa em reduzir o seu impacto ambiental otimizando os recursos, o que obrigou a um aumento no investimento e nos projetos de sustentabilidade. “Em 2016 investimos cerca de 23 milhões de euros na melhoria do nosso desempenho ambiental. Podermos garantir já hoje que alcançámos o objetivo que tínhamos delineado apenas para 2018, e estabelecermos um ambicioso objetivo para 2025, deixa-nos muito contentes”, disse.

O Plano ECOMOTIVE FACTORY enquadra-se na estratégia PQT da SEAT (Produção, Qualidade e Equipa), desenhada para melhorar a produtividade e a qualidade nas unidades de Martorell, Barcelona e na SEAT Componentes, dando resposta aos desafios futuros no setor automóvel. Esta estratégia é um sucesso comprovado e reconhecido através de prémios como Lean & Green Management, atribuído em 2015 à fábrica de Martorell em reconhecimento por ser a mais eficiente da indústria automóvel europeia, ou a menção especial à qualidade nos prémios Factory of the Year, de 2016, em reconhecimento à eficiência e à sustentabilidade dos processos.

SEAT al Sol e outros projetos de referência

A soma de todas as ações previstas no Plano ECOMOTIVE FACTORY permitiu reduzir o consumo energético por veículo produzido em cerca de 20% desde o ano de 2010. Em comparação com a média dos fabricantes deste setor na Europa, a SEAT consome, aproximadamente, metade da energia na produção de veículos, menos 23% de água e emite 65% menos de CO2.

A implementação de dispositivos elétricos de iluminação LED, a melhoria no isolamento das instalações e dos escritórios ou o aproveitamento do calor e do frio para a climatização, são algumas das medidas efetuadas. Melhor ainda, metade da energia consumida pela SEAT é proveniente de fontes renováveis, a 100% no caso específico da eletricidade.

Um capítulo que merece especial menção é o da otimização da água e da economia obtida através de ações como a recuperação da água mediante um segundo processo de osmose invertida, que permite aproveitar parcialmente águas residuais; o aproveitamento da água condensada por ar condicionado, ou as diversas melhorias nos sistemas de filtragem dos testes de estanquicidade, entre outras ações.

SEAT al Sol é o projeto mais emblemático da estratégia ambiental da SEAT. Inaugurada em 2013, é a maior unidade de coletores solares da indústria automóvel, ocupando uma superfície de 276.000 m2, o equivalente a 40 campos de futebol. A fábrica de Martorell está equipada com 53.000 painéis solares, produzindo energia suficiente num ano para carregar 3 milhões de telefones por dia. Além disso, consegue-se evitar a emissão de 8.300 toneladas de CO2 por ano, o equivalente a 10 vezes a quantidade absorvida pelo Central Park de Nova Iorque.

Outro projeto de referência é o das pontes auto iluminadas da fábrica de Martorell. A combinação de mosaicos pisáveis que geram 0,1 kWh/dia com mosaicos que aproveitam a energia solar, permite iluminar de forma autónoma as pontes de acesso Este 1 e Este 2. Entre as medidas implementadas em 2016, destaca-se também o projeto de recuperadores de energia que consiste na instalação de células nas chaminés de pintura que recuperam o calor através do efeito Seebeck. Além disso, a empresa também está a desenvolver ações de sensibilização da estratégia ambiental entre os trabalhadores, juntamente com a criação de pontos de informação ao redor da fábrica.