Auto News Nuno Tordo e António Serrão cumprem missão na Baja TT do Pinhal

Depois de um prólogo em que a equipa ainda experimentou alguns problemas de aquecimento no motor de CX5, a equipa técnica tudo fez para que o carro ficasse em condições e muito competitivo, para depois, nos difíceis e abrasadores sectores seletivos, poderem recuperar algum do tempo perdido e fazer a prova sem sobressaltos:

“Desta vez conseguimos ter tudo pronto a horas para alinhar com tranquilidade na prova da Sertã e foi com essa segurança que partimos para a primeira passagem do prólogo. Verificámos que a temperatura subia bastante e fomos atrasados por um carro parado no meio da pista, que nos fez perder cerca de 30 segundos par conseguir passar para a sua frente. No final, tentámos compreender qual era o problema do aquecimento e detetou-se que o termostato não estava a funcionar. Com o problema resolvido – e como não encontrámos ninguém em pista – melhorámos bastante e acabámos por sair da 16ª posição para o primeiro sector de 190 Km.

Para a prova toda a gente partiu confiante, mas o calor – temperaturas a subir até aos 40º… - iria limitar o desempenho de todos, pondo à prova pilotos e mecânica que com alguma dificuldade lá atravessaram a onda de calor e o caminho pedregoso e sinuoso da serra, chegando ao fim no limite das forças…

“O primeiro sector foi duríssimo. As temperaturas dentro do carro eram impossíveis de aguentar, o piso destruiunos quatro pneus novos e quase me ia deitando abaixo. Mais alguns quilómetros e não sei se aguentaria. Durante o sector, o carro voltou a aquecer, não nos permitindo manter um andamento consistente, mas lá cortámos a meta e depois foi quase “tirar a roupa toda” para refrescar e arrefecer também o carro, que tudo aguentou sem problemas de maior.”

Depois tudo mudou. Para a tarde um sector com 130 KM e a chegada da trovoada e da chuva forte, que baixou as temperaturas mais de 15 graus e eliminou grande parte do pó – quase fesh-fesh…- amenizando as coisas de forma a que, já quase com a noite a cair, a meta fosse alcançada.

“A chuva trouxe um novo alento e também problemas de funcionamento do limpa para-brisas, mas nada que nos impedisse de manter as nossas posições e cumprir os nossos objetivos. Parabéns à equipa técnica que nos proporcionou um carro muito fiável, e ao meu navegador que foi um verdadeiro companheiro dentro do ambiente abrasador do carro. “

O Mazda CX5 PRO.TT, tem as cores da FEDIMA, Repower Clube do Peixe, Gaiato LDA, Portugal Motorsport e vai participar nas seis provas do Desafio Total Mazda, a próxima das quais se realiza em Idanha, no mês de Setembro