Auto News José Rodrigues continua a impressionar com grandes exibições no Campeonato Alemão de TCR

Foi um fim-de-semana com algumas peripécias que impediram que o piloto de Braga repetisse a excelente estreia em Oschersleben, entre as quais uma penalização na segunda corrida que lhe retirou o sexto lugar em que cortou a meta.

Tudo começou com o 11º tempo mais rápido na qualificação, muito perto de entrar nos dez primeiros, que lhe daria a “pole-position” para a segunda corrida. Mesmo assim, José Rodrigues impressionou ao ser o terceiro da sua série e o mais rápido da sua equipa, o que não deixa de ser assinalável para quem nunca correu nesta pista.

Não baixando os braços, como é seu timbre, o piloto de Braga arrancou para a primeira corrida determinado em chegar o mais à frente possível. Aos poucos, foi cumprindo esse objetivo e viu a bandeira de xadrez na sexta posição, importante para o campeonato. O pior veio depois quando foi penalizado com 30 segundos, baixando assim 22 lugares: “Disseram-se que foi por ter passado no “Pit-Lane” a 64 km/hora, quando o limite é 60. Inacreditável!”, desabafava o piloto que viu assim estragada a sua corrida: “O Safety-Car” entrou duas vezes em pista e eu numa corrida nunca tinha passado pelo “Pit-Lane”. Foi uma prova muito positiva, pois arranquei em modo manual e cheguei a sexto, mas infelizmente esta penalização tirou-me esse lugar. Subia alguns lugares no campeonato, e assim não pontuei. De qualquer forma, provei que o resultado da prova anterior, não foi obra do acaso, mas é frustrante o que me aconteceu por quatro km/hora”, acrescentou o piloto que fez a terceira volta mais rápida da corrida.

Na segunda corrida, voltou a arrancar no 11º lugar e a tarefa era recuperar, o que conseguiu fazer, embora o oitavo lugar em que terminou soubesse a pouco: “Arranquei mal, perdi alguns lugares, mas fui à luta e paulatinamente fui subindo lugares com grandes lutas e guerras com o foco da corrida a residir em mim, pois o primeiro classificado ganhou um grande avanço”, explicou o piloto, destacando: “Foi mais uma corrida no top 10 e provei que Oschersleben não foi obra do acaso. Entre 40 carros sou dos três ou quatro mais rápidos. Este resultado soube a pouco, pois na qualificação Q2 fui o 11º, o primeiro resultado que não inverte a grelha de partida. Se ficasse em décimo, arrancaria em primeiro na segunda prova e podia ter lutado pela vitória. Depois foi a penalização da primeira corrida, que podia ter sido uma multa, mas entenderam que seria uma penalização em tempo e caí na classificação”.

José Rodrigues, explica ainda: “Só para se perceber a competitividade deste campeonato, alguns dos melhores em Oschersleben, andaram agora entre 20º e 30º. Eu continuo entre os mais rápidos, o que me deixa satisfeito”, concluiu o piloto com o apoio do Sport Lisboa e Benfica, BP Ultimate, McDonald`s Braga, General Autocentro, Raceland, Duoseg, Ryan Motorsport, Pronto - Lojas de Conveniência, Rodareas, Camac, GEN Motosport e JAS Motorsport.