Auto News Vitória final para Rui Ramalho na Rampa da Serra da Estrela

O piloto do Porto fez o tempo final de 5:12s083 e acabou por beneficiar dos problemas de Pedro Salvador, - que se viu impossibilitado de fazer a derradeira subida de prova -, para vencer com algum à vontade uma competição que se adivinhava renhida até aos últimos metros.

Salvador e o Silver Car EF10 minimizaram os custos em termos de campeonato, ao conseguirem manter a segunda posição absoluta e na Categoria 1. Muita emoção na luta pelo derradeiro lugar do pódio, com o piloto local, João Fonseca (BRC CM05), a conseguir bater Paulo Ramalho por apenas 23 milésimos (!), depois de uma última subida de “faca nos dentes”. Joaquim Rino em BRC CM05 Evo foi o quinto classificado.

“Foi uma vitória importante para mim e para a equipa, que esteve em grande plano e me deu um carro fabuloso. Devo confessar que esta não é das rampas onde me sinto mais à vontade, por isso vencer aqui deixa-me muito satisfeito. A minha adaptação ao Osella é cada vez maior, daí a minha candidatura ao título sair reforçada no final desta prova. Sabemos que vamos ter pela frente uma grande luta até ao final e é para isso que nos vamos preparar, sabendo que estar na primeira posição do campeonato é uma grande fonte de motivação para todos.” Disse Rui Ramalho.

Com um final espectacular, a Categoria 2 teve por vencedor José Correia. O piloto do Nissan GT-R GT3 fez na derradeira subida do fim-de-semana o seu melhor crono, completando a prova com um tempo total de 5:52s304, suficiente para bater Gonçalo Manahu em Porsche 997 GT3 Cup.

“Foi uma prova muito complicada para mim, que começou mal mas acabou muito bem. Ontem tive uma saída de pista e só com um grande trabalho de todos na equipa conseguimos recuperar o carro e estar na luta pela vitória até ao final. Conseguimos vencer e por isso o prémio é para todos, foi muito difícil e por isso muito saborosa.” Afirmou José Correia. Também a Categoria 5 só ficou decidida nesta derradeira subida, com Luis Nunes em SEAT Leon MKIII a perfazer o tempo total de 5:56s075, para vencer na frente de Joaquim Teixeira em Renault Megane Trophy V6. Francisco Marrão em SEAT Leon Supercopa fechou o pódio

“Foi uma luta até ao final e por isso o triunfo conseguido foi muito gratificante. Gosto muito desta rampa e tudo correu muito bem, tendo conseguido o meu principal objectivo para esta prova. Consegui ser consistente e regular e acho que isso foi um dos segredos da minha vitória.” Referiu Luis Nunes.

A vitória na Categoria 4 pertenceu ao favorito Manuel Correia, que completou a prova ao volante do seu Ford Fiesta R5+ em 6:00s387. Azar para Luis Silva (BMW M3) que teve de parar na derradeira subida devido a problemas mecânicos no seu carro, mas mesmo assim completou a prova na segunda posição final. No degrau mais baixo do pódio ficou Francisco Morgado em Mitsubishi Lancer Evo IX, com Marco Guerra a colocar o seu Peugeot 306 na quarta posição.

“Este triunfo não foi tão fácil como pode parecer, já que nunca me pude distrair devido à pressão do meu adversário directo. O carro esteve impecável e por isso foi mais fácil conseguir andar rápido numa prova que dá muito gozo fazer e por isso estou muito satisfeito com este resultado.” Sintetizou Manuel Correia.

A jogar em casa, Pedro Coelho Saraiva e o Mitsubishi Lancer Evo IX bateram toda a concorrência na Categoria 3, com o piloto a completar a prova com o tempo total de 6:16s612. Mais atrás, João Guimarães foi segundo com o seu Peugeot 206 RC, na frente de Sérgio Nogueira em Citroen Saxo, Pedro Marques em SEAT Leon TDi e José Oliveira em Subaru Impreza.

“A vitória é um justo prémio para nós e tem um sabor especial por ter sido conquistada na minha terra. Começamos com alguns problemas ontem mas hoje tudo correu pelo melhor e foi possível vencer.” Referiu Pedro Saraiva. Miguel Lobo completou a prova e venceu naturalmente a Taça Nacional de Montanha TCR com o Audi RS3, registando o tempo final de 6:02s409.

“Foi de facto uma luta solitária contra o cronómetro, mas que me deu muito prazer fazer. Fui melhorando sempre e no final os tempos que consegui e a classificação em termos absolutos deixam-me satisfeito.” Adiantou Miguel Lobo. Com um registo final de 7:16s473, Leonel Brás em Citroen AX Sport, impôs-se na Taça Nacional de Montanha, com Francisco Leite em Fiat Punto a ser o segundo. António Silva em Toyota Starlet e Pedro Carvalho em Citroen AX ficaram nas posições seguintes.

“Não foi fácil mas correu tudo muito bem. Consegui andar sempre a um ritmo elevado e com isso foi possivel bater a concorrência.” Disse Leonel Brás.

No Campeonato Nacional de Clássicos Montanha, a vitória pertenceu ao dominador Flávio Sainhas em Ford Escort MKI. O piloto local terminou a prova com o tempo total de 6:36s212, batendo Parcídio Summavielle, que foi segundo com o seu Datsun 240Z. Augusto Vasconcelos em Ford Escort MKI fechou o pódio, na frente de Mário Mesquita em Datsun 1600 SSS.

“Ganhar em casa e perante o público da Covilhã é fabuloso. Depois de uma prova azarada na Falperra, aqui tudo correu muito bem e foi possível ganhar com algum à vontade. Estou muito muito feliz.” Disse Flávio Saínhas. No Troféu Nacional de Clássicos Montanha, a luta foi enorme, com a vitória a pender para o lado de Fernando Salgueiro em Ford Escort MKII, que com o tempo total de 6:47s225, bateu por meio segundo Carlos Oliveira em BMW 323i. A terceira posição ficou na posse de José Dinis em Ford Escort MKII, seguido por Ricardo Loureiro em carro idêntico e pelos VW Carocha de Carlos Fava e Rui Gama.

“Foi uma luta enorme, muito difícil, mas no final a vitória foi minha. Estamos todos de parabéns na minha equipa com esta conquista que nos dá mais ânimo para o campeonato.” Afirmou Fernando Salgueiro.

Na Taça Nacional de Clássicos Montanha o triunfo pertenceu ao dominador Aníbal Rolo em Datsun 1200 Coupé, com o tempo final de 7:03683. Completaram o pódio, José Magalhães (Toyota Starlet) e José Pedro Figueiredo em Datsun 1200. Domingos Fernandes em Autobianchi A112 finalizou a prova na quarta posição.

“Tive o melhor carro e hoje correu muito bem depois de ter tido muitas dificuldades ontem já que o carro não estava ao meu gosto. Corrigimos e hoje foi possível vencer e por isso estou muito satisfeito.” Referiu Aníbal Rolo.

De referir o excelente esforço do CAMI, que depois dos sucessivos azares na primeira subida de treinos ontem realizada, com inúmeras avarias e acidentes a atrasarem bastante o programa, hoje, sem percalços de maior, tiveram um elevado desempenho organizativo, para o qual muito contribui a preciosa colaboração da Câmara Municipal da Covilhã.

O Campeonato Nacional de Montanha Valvoline prossegue dentro de três semanas, com a realização da Rampa de Santa Marta.