Auto News Ricardo Matos comprovou rapidez em Amarante - Baião

Depois dos pódios nos ralis de Gondomar e Vinho do Dão - Nelas, Ricardo Matos chegava ao Rali de Baião - Amarante no segundo lugar da Taça Nacional de Ralis de Terra, surpreendendo pela rápida adaptação ao Mitsubishi Lancer Evo IX. Contudo, o piloto de Amarante esteve ainda mais forte na prova disputada na sua região natal, liderando a competição da Taça até à PEC6, onde os problemas de embraiagem no seu Evo IX se agravaram, impedindo-o mesmo de completar a derradeira Super Especial da prova, em Baião. Contudo um erro da organização impediu Ricardo Matos de tentar colocar o seu carro em Parque Fechado, impossibilitando-o de terminar a prova no sexto lugar da Taça.

“Na sexta-feira, ainda na ligação antes da primeira passagem pela Super Especial de Amarante, a embraiagem do carro começou a ‘patinar’”, explicou Ricardo Matos. “Ainda assim conseguimos ser os mais rápidos da Taça na primeira Super Especial e decidimos começar o dia de sábado ao ataque. Encontrámos um bom ritmo, ganhámos a PEC4 no Marão mas a embraiagem estava cada vez pior e sabíamos que podia ceder a qualquer momento. Estivemos na frente da Taça até à PEC6 e estou convencido que sem esses problemas teríamos conseguido manter a liderança. No arranque para a Super Especial de Baião o carro simplesmente não respondeu, foi impossível completar o troço. O pior é que o controlador da organização, por desconhecimento, não fez o que está previsto no regulamento e não colocou o nosso carro no parque de assistência, onde depois poderíamos ter tentado chegar ao Parque Fechado final. Isso significou que não pudemos tentar terminar a prova no sexto lugar da Taça, que nos daria 10 pontos importantes na luta pelo título. Foi um erro da organização que tem implicações muito graves, até porque esta era a prova mais importante para os nossos patrocinadores. Fiquei mesmo muito desiludido”, referiu Ricardo Matos, que voltou a lutar e até a superar pilotos bem mais experientes com os Mitsubishi Lancer. “Quero agradecer aos nossos patrocinadores, amigos, familiares e ao muito público que nos foi aplaudindo ao longo do rali. Mesmo no pior momento, quando fomos obrigados a abandonar, fizeram questão de soltar uma grande salva de palmas.”

A dupla de Amarante vai agora aproveitar a paragem no campeonato para depois voltar à luta pelos primeiros lugares no Rali de Mortágua, agendado para os dias 22 e 23 de Setembro.