Auto News Recorde de carros WRC nos 50 anos do Rally de Portugal

O Vodafone Rally de Portugal (VRP) acontece num momento altamente competitivo: até agora, quatro pilotos de quatro marcas distintas venceram as primeiras quatro provas do campeonato. É assim com a emoção redobrada que vai para a estrada mais um Vodafone Rali de Portugal, entre 18 e 21 de maio, disputado pelo terceiro ano consecutivo no norte do País. Mais especial ainda quando se celebram os 50 aos do Rally de Portugal, facto assinalado pelo Automóvel Club de Portugal com o lançamento de uma obra histórica da maior prova automóvel nacional.

A edição deste ano do VRP apresenta novidades e alterações em oito dos 11 troços que compõem a prova. A Exponor, em Matosinhos, permanece como sede do quartel-general da prova, das verificações administrativas e técnicas, do parque de assistência e da maior parte das partidas e chegadas. Com entrada gratuita de quarta-feira a domingo, será o local perfeito para o público poder ver bem de perto as novas máquinas do WRC e contactar com os pilotos. A cerimónia de pódio volta a ter lugar na Marginal de Matosinhos.

Inalterado mantém-se também o primeiro dia do VRP. Paredes recebe o Shakedown na manhã de quinta-feira, o derradeiro teste de pilotos e máquinas antes da cerimónia de partida da prova em Guimarães, no Campo de São Mamede. Dali, o pelotão segue para Lousada para a única Super Especial da prova e que será o primeiro momento de competição dos novos WRC em Portugal.

É na sexta-feira, 19 de maio, que chegam as primeiras grandes novidades, com uma etapa totalmente disputada no Minho e novos desafios para os pilotos. Viana do Castelo passa a ser o primeiro troço do dia, agora numa nova versão com 10,90 km novos, seguindo-se os troços de Caminha e Ponte de Lima, ambos a disputarem-se em sentido inverso ao das duas últimas edições da prova.

Terminada a dupla passagem pelas classificativas do Alto Minho, a caravana do Rally ruma à Cidade dos Arcebispos para disputar o Braga Street Stage, uma dupla classificativa disputada num percurso de cerca de 1.900 metros desenhado no centro histórico da cidade.

Sábado arranca com a classificativa de Vieira do Minho, seguindo para aquela que é a grande novidade do dia, Cabeceiras de Basto, na Serra da Cabreira. A fechar o programa de dia 20, a incontornável classificativa de Amarante, que com os seus 37,5 km volta a ser a Especial mais longa e uma das mais exigentes do Rally.

O último dia é uma homenagem do Rally de Portugal e do Automóvel Club de Portugal ao concelho de Fafe, palco de todos os troços de domingo. Além da tradicional dupla passagem pela classificativa de Fafe-Lameirinha, a última das quais disputada sob o regime de Power Stage, são introduzidos dois troços - Luílhas e Montim.