Auto News Dia Mundial do Trânsito e da Cortesia ao Volante

A propósito do Dia Mundial do Trânsito e da Cortesia ao Volante, que se assinala esta sexta-feira, 5 de maio, a Continental Pneus Portugal, apresenta alguns dos comportamentos mais frequentes dos automobilistas nacionais em situações de stress ao volante.

Da análise dos dados de comportamento medidos a partir da Escala DBS – Driven Behavior Scale -, em situações de stress ao volante que deixam o condutor ansioso, tenso ou desconfortável como reage o condutor português – permite-nos concluir que 27% dos condutores inquiridos revela um comportamento agressivo e hostil.

A demonstração de irritação para com os outros automobilistas é uma prática corrente nos condutores inquiridos, já que apenas 34,8% afirma nunca o fazer. Tentar encontrar maneira de demonstrar aos outros condutores que o estão a enervar é um comportamento que acontece com mais de 55% dos inquiridos.

Dizer palavrões enquanto conduz é um comportamento prevalecente nos condutores portugueses, sendo que a maioria dos inquiridos já o fez, sendo que 14% o faz de forma frequente e muito frequente.

Gritar com os outros condutores quando eles o deixam nervoso acontece frequentemente com 35% dos automobilistas.

O estudo permite-nos concluir também que mais de 26% dos inquiridos faz “gestos” para os condutores que o enervam. Bater no volante quando se está nervoso é um gesto que 34% dos inquiridos pratica.

Somente 31,8% dos inquiridos nunca buzinou aos condutores que o deixam nervoso. 30% fazem-no frequentemente ou muito frequentemente.

Os dados recolhidos permitem-nos ainda aferir que os condutores que mais se preocupam em manter um estilo de vida saudável são os que revelam menos tendência para a agressividade ao volante.

No lado oposto, os condutores que percecionam ter mais stress na sua actividade profissional são os que revelam mais comportamentos agressivos ao volante.

Através da aplicação da Escala DBS – Driven Behavior Scale -, o estudo procurou perceber estilos comportamentais face a situações que provoquem alguma ansiedade na condução. Esta escala já testada em anteriores estudos internacionais tem permitido comprovar que existe uma relação direta entre a agressividade ao volante e o aumento de risco de acidente rodoviário. Estudos anteriores comprovaram também que estudos emocionais alterados poderão ser indutores de maior risco ao volante.