Auto News António Costa garante pódio na estreia com Mitsubishi Lancer Evo IX

António Costa surgiu no rali da sua terra natal apostado em descobrir as características de pilotagem do Mitsubishi Lancer e em evoluir os seus tempos de forma consistente, numa prova onde já tinha conseguido dois pódios à geral com o Renault Clio R3 em 2015 e 2016. O piloto de Amarante mostrou uma rápida adaptação ao novo carro e fez registos ao nível da concorrência direta, bem mais experiente neste tipo de viaturas 4x4.

No final, o terceiro lugar na Taça Nacional de Ralis de Terra deixou António Costa satisfeito com a sua performance e, sobretudo, com a aprendizagem acumulada ao longo do Rali de Amarante – Baião.

“É um resultado positivo na estreia com um 4x4, principalmente porque já deu para perceber o que é um carro destes. É de facto uma grande diferença para os carros a que eu estava habituado, há mais potência mas o peso e a inércia também são maiores, o que torna a travagem e as mudanças de direção mais exigentes. Acho que fizemos um bom trabalho e tirei referências importantes para o futuro. Infelizmente, no sábado à tarde tivemos problemas num braço de suspensão e tornou-se difícil guiar o carro. Tive muitas cautelas para chegar ao final e garantir este pódio”, referiu António Costa, que continua a dar nas vistas como piloto depois de uma carreira de sucesso como navegador.

“Correr na minha terra é sempre especial. Acho que foi um excelente rali, com os troços cheios de gente e um público que nos apoia imenso. O meu obrigado a todos os patrocinadores, à Câmara Municipal de Amarante, à CM Construções, à Imomodelo, ao Ricardo Faria que me acompanhou neste rali depois de ter sido chamado à última hora, e também à nossa equipa de assistência. Espero poder repetir esta experiência no futuro”, concluiu o piloto amarantino.