Auto News André Rodrigues sem sorte no Casino de Espinho

A dupla começou por realizar a primeira especial da prova sem intercomunicadores e acabou ainda por sentir problemas de travões, com estes condicionalismos a fazê-los perder tempo precioso.

No sábado de manhã a primeira especial também não foi perfeita, pois era preciso confirmar que os problemas de travões estavam resolvidos, para depois então procurar recuperar posições. Os objectivos começavam a ser alcançados nas duas especiais seguintes, ainda que nas mesmas tenha sempre alcançado a dupla de pilotos que partia á sua frente.

O azar no entanto bateria á porta da equipa que correr com os apoios da Confrasilvas, Dyrup, Vidrofornense, Fire, Ushindi, Semeca, Jamporlú Lda, Rochalazan, Etopi, ACPA, JM Póvoa, Adega Mor, LiquiMoly, Alugatudo, Licor 35 e SAM'S, quando os pernos de uma das rodas cedeu, obrigando-os a desistir.

André Rodrigues comentava que “esta prova teve um trajecto em crescendo no que ao andamento diz respeito, embora um pouco prejudicada nos tempos das especiais por termos alcançado o concorrente que partia à nossa frente, situação que se tornou ainda mais complicada pelo facto de haver pouco espaço para consumar a ultrapassagem. Ainda assim senti-me bem com o carro e com as notas. Infelizmente num salto no quinto troço os pernos da roda frente direita cederam e isso impediu-nos de continuar em prova. Não conseguimos desta feita cumprir os nossos objectivos, o que nos deixa obviamente tristes, até porque sentimos que estamos a evoluir e temos a consciência de que temos tudo para fazer bons resultados.”.

A próxima prova do Campeonato Nacional de Ralis será o Rali Vidreiro, prova organizada pelo Clube Automóvel da Marinha Grande, que terá lugar nos dias 9 e 10 de Junho.