Auto News Joana Barbosa e Sofia Mouta cumpriram objetivo em Castelo Branco

A dupla de Braga teve que recorrer ao Abarth 500, pois numa sessão de testes ocorrida na semana anterior, o Ford Fiesta acusou alguns problemas e não houve tempo útil para a chegada das peças necessárias.

Assim, Joana teve que recorrer ao fiel Abarth 500 para cumprir a prova, mas logo no primeiro dia teve que parar por problemas com o motor de arranque do carro italiano no final das duas primeiras classificativas. Nada que impedisse a equipa minhota de prosseguir em prova ao abrigo do regulamento de Super Rali, arrancando para o derradeiro dia de prova com o objetivo de terminar, o que foi conseguido: “Já não estava habituada ao Abarth 500 há algum tempo e foi diferente, mas é um carro que conheço muito bem. Foi um rali difícil e para este carro é uma prova com partes muito complicadas”, começou por dizer Joana Barbosa, prosseguindo: “Infelizmente no primeiro dia tivemos um problema com o motor de arranque que não nos permitiu continuar e tivemos arrancar no segundo dia em Super Rali. Assim, o objetivo passou a ser terminar e fazer quilómetros, e isso foi conseguido. Agora, não estou satisfeita em pleno, mas deu para rodar e ganhar experiência em ralis grandes”.

Joana Barbosa admitiu ainda que: “Já estava focada com o outro carro, e á última hora tivemos que trocar. Já imaginava que seria complicado com este carro, mas deu para cumprir mais uns quilómetros em provas do Campeonato Nacional”, concluiu a piloto apoiada por, Stock-Car, Ford, Cofidis, Ford Motorcraft e Del Mar Village.